Denúncia contra o ministro Paulo Guedes é protocolada na Comissão de Ética Pública

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

O protocolo da representação contra o ministro da Economia, Paulo Guedes, foi realizado na Comissão de Ética Pública Federal, com o número 00191.000624/2020-89. O objetivo é dar fim aos ataques do ministro ao funcionalismo público. 

O Fórum Permanente de Servidores Públicos do Estado do Rio de Janeiro (FOSPERJ), composto por diversas entidades do funcionalismo público do Rio, em conjunto com outras entidades representantes do funcionalismo brasileiro,  pediu à Comissão de Ética Pública a aplicação da penalidade de advertência e o encaminhamento de sugestão de exoneração contra o ministro Guedes. 

Foram inúmeras declarações ofensivas por parte do ministro, que sugeriu que o funcionalismo público seria a causa dos problemas financeiros do país. Guedes ofendeu a categoria ao comparar os servidores a assaltantes e saqueadores. Além disso, nas discussões envolvendo a Reforma da Previdência, o denunciado acusou os servidores de fazer lobby em prol da manutenção de supostos privilégios. 

O ministro da Economia não pode atentar contra a dignidade do servidor e do serviço público sem sofrer as consequências de seus atos e leviandades!

Para a advogada Aracéli Rodrigues, quem patrocinou a medida, “essas declarações caluniosas e difamatórias buscam manchar o imaginário público sobre o que é ser servidor e qual a sua importância para a sociedade, especialmente nesta época da pandemia, exclusivamente para demonizar o funcionalismo. Ou seja, Paulo Guedes faltou com decoro, respeito e zelo ao falar da honorabilidade e desempenho do funcionalismo público, e por isso deve ser punido pela Comissão de Ética, no mínimo”.

Acesse o protocolo aqui: http://www.fosperj.com.br/documentos/proto-guedes-210720.pdf